Você já deve ter ouvido falar que você é o que veste. E o mesmo vale para a maquiagem. Uma pessoa ousada adere às tendências e às cores mais fortes de batons e sombras, por exemplo, do que a mais clássica e discreta, que tende a preferir cores mais neutras.

E ainda em relação à maquiagem e o comportamento, já percebeu que quando você está triste ou chateada é mais fácil se render a um make bem básico, enquanto quando está feliz as escolhas são um pouco mais caprichadas, com direito a make completo e com mais cor?

A maquiagem tem mesmo muito a dizer sobre os hábitos e escolhas das mulheres. E foi pensando nisso que uma marca de maquiagem renomada lá fora fez um estudo juntamente com especialistas de Harvard. O estudo veio para confirmar o que a gente já imaginava. Dá só uma olhada:

 

Make com frequência = Mulheres confiantes

O estudo ouviu mil pessoas e mostrou que quem usa produtinhos de make 4 ou mais vezes durante a semana tende a ter altos níveis de confiança, sendo que também ocupam cargos mais altos nas empresas.

 

As cores dizem muito sobre você

Numa entrevista de emprego é muito comum os especialistas sugerirem cores neutras, como o nude. E isso tem uma razão: de acordo com o estudo essa é a cor que mais passa confiança, enquanto o vermelho é sinônimo de criatividade. Já as cores puxadas para o rosa, especialmente os mais fortes, como o pink, passam a impressão de que a pessoa é bastante sociável. A paleta com cores roxo, ameixa e berinjela apontam para pessoas mais independentes.

Faz todo o sentido, afinal, ao entrar num ambiente de criação ou arte, como um desfile de moda ou um grupo de artistas, será muito mais fácil encontrar mulheres que ousam nas cores e tendências, enquanto num escritório tradicional predominam tons mais neutros na maquiagem.

Claro que não é porque vou usar batom roxo que passei a ser despojada e criativa, assim do nada. Mas é muito comum que esse tipo de pessoa tenha maior aderência a este tipo de make. Assim a maquiagem é um reflexo do que já acontece internamente com a pessoa.

 

Beleza democrática

Apesar dos direcionamentos apontados pelo estudo, vale dizer que no mundo da beleza as regras caíram por terra há alguns anos. Por isso, é perfeitamente possível ter mulheres mais preocupadas com a aparência num ambiente de trabalho predominantemente masculino ou administrativo, por exemplo. E também existem as clássicas em ambientes mais livres e criativos. Mas no fim, o que realmente importa é seguir o seu estilo, sem rótulos.

 

Você concorda ou discorda com o estudo? Conte pra nós!